Mario Quintana por Diego Grando

quintana_grando

A poesia do Quintana tem algo de muito invejável, acho que para a maioria dos poetas, que é conseguir estabelecer uma empatia quase imediata com seus leitores. E isso sem perder o nível de exigência em termos de recursos poéticos, que em diversos momentos são muitíssimo elaborados, sem deixar o humor e a leveza diluírem as questões mais profundas, sem se prender a uma só forma de olhar, de sentir e de dizer, e sobretudo sem abrir mão daquela sua melancolia muito particular, que não provoca pena, mas alguma coisa que até hoje não sei como definir, mas com a qual me identifico e reidentifico a cada nova leitura.

Diego Grando é poeta. Ele estará na programação do Ler Quinta com a a oficina “Os muitos Quintanas de Quintana: itinerário de leitura”. Serão dois encontros com leituras e comentários que levantam a “relevância histórica e estilística da obra de Quintana no contexto da poesia brasileira”. A inscrições são gratuitas e estão abertas (para mais informações, clique aqui).

Mario Quintana por Celso Gutfreind

Hoje é o dia do psicanalista e poeta Celso Gutfreind falar sobre Mario gutfreindQuintana. Gutfreind foi provocado por Alexandre Lucchese, editor deste blog, a escrever um ou dois parágrafos sobre Quintana. Mas o autor de Em Defesa de Certa Desordem foi além e tratou da obra do nosso autor homenageado em relação às suas diferentes fase de vida. A gente agradece e compartilha:

O Alexandre pediu uns dois parágrafos sobre a minha relação com a poesia do Quintana, mas acho que precisarei de uns quatro. Porque vejo nela pelo menos três fases, e o primeiro parágrafo já terminou.

Conheci a poesia do Quintana no Jornal, Caderno H ainda. Acho que isto foi fundamental, porque não veio de um professor nem de uma obrigação escolar. Foi espontâneo. Eu lia e, melhor ainda, entendia, sentia, achava engraçado e triste. Não tinha muita ideia do que significava poesia ou prosa, mas me alimentava daquela poesia mesmo em prosa. Eu era criança ainda.

Depois, veio a segunda fase, com o professor Sérgio Silva, no Colégio Israelita Brasileiro. Apesar da formalidade, foi muito bom, talvez melhor ainda. Aprendi o que era prosa e poesia e continuei gostando, agora descobrindo camadas mais profundas encobertas por aquela aparente simplicidade.

Depois, me tornei adulto e poeta, e a poesia do Quintana acrescentou na minha vida este aspecto: de ser uma lição permanente de artesanato poético. Mas este parágrafo não exclui os anteriores, porque continuo um leitor que se emociona e acha engraçado e triste.

Oficinas: inscrições abertas

As comemorações dos 107 anos de nascimento de Mario Quintana vão oportunizar encontros, diálogos e muita troca de experiências e conhecimentos. Como parte da programação, a Casa de Cultura Mario Quintana e a FestiPoa Literária estão promovendo oficinas para a comunidade durante os três dias de programação festiva.

A agenda conta com diversas ciclos de aulas práticas para crianças e adolescentes. Além disso, a FestiPoa Literária preparou três cursos que estimulam a leitura, análise e criação de poesias. As inscrições para os encontros já estão abertas – a data limite para se inscrever nas oficinas promovidas pela FestiPoa Literária é 29 de julho.

Confira detalhes e participe:

Oficinas da FestiPoa Literária (inscrições de 22 a 29 de julho):

Os muitos Quintanas de Quintana: itinerário de leitura
Organizado como uma oficina de leitura de poesia, o evento tem por objetivo proporcionar uma travessia guiada pela obra de Mario Quintana. A partir de poemas selecionados, serão apresentados e percorridos os diferentes momentos de sua produção poética, tanto do ponto de vista dos temas trabalhados pelo poeta quanto dos procedimentos formais empregados. A análise e a discussão de textos serão acompanhadas de comentários expositivos, numa tentativa de situar a relevância histórica e estilística da obra de Quintana no contexto da poesia brasileira.
Ministrante: Diego Grando.
31 de julho e 01 de agosto, das 18h30 às 20h30 – Sala C2
Inscrições gratuitas no e-mail festipoaliteraria@gmail.com
Vagas limitadas a 40 inscritos

Desencaixotando Mario Quintana
Oficina de criação baseada em “O trabalho da Citação”, de Antoine de Compagnon. Discussão sobre originalidade e hipertextualidade. Leitura da obra de Mario Quintana. Uso de recortes e colagens da obra do poeta na oficina destinada ao público adulto, para a construção de novos trabalhos literários. Exercícios de leitura e confecção de mural para exposição dos trabalhos gerados na oficina.
Ministrante: Eliana Mara Chiossi
30 e 31 de julho e 01 de agosto, das 18h às 20h – Sala A2B2
Inscrições gratuitas no e-mail festipoaliteraria@gmail.com
Vagas limitadas a 25 inscritos

Para Gostar de ler poesia, basta ler… poesia
Os escritores Guto LeiteDiego Petrarca e Marô Barbieri ministram oficina de leitura de poesia. Durante duas horas, os convidados conduzirão os participantes na leitura de poemas de Mario Quintana e de outros grandes poetas da língua portuguesa. A oficina priorizará o prazer da leitura de poesia e oferecerá dicas e informações a respeito de técnicas poéticas.
30 e 31 de julho e 01 de agosto, das 16h às 18h – Sala A2B2
Inscrições gratuitas no e-mail festipoaliteraria@gmail.comVagas limitadas a 50 inscritos

Oficinas para crianças e adolescentes

Oficina de dança moderna e contemporânea
Com Eva Schul

Atua no Grupo Experimental de Dança da Cidade, mestra da dança brasileira, com mais de quatro décadas de atividade, tendo formação com expoentes da dança mundial como Hanya Holm, Alwin Nikolais e Martha Graham. A oficina tem o objetivo de trabalho consciência corporal, motricidade, noções rítmicas e seqüências coreográficas.
Para iniciantes, a partir de 15 anos
Dia 1º de agosto das, 10h às 12h – Sala Cecy Frank
Necessidade: vestuário confortável para movimentação
20 vagas

Oficina de confecção de instrumentos com material reciclável
Com Chicão Dornelles

Produção musical a partir da utilização de materiais recicláveis na construção de instrumentos de percussão. Promove-se uma mostra de resultados sonoros com os instrumentos confeccionados, todos participam de uma grande batucada. Neste momento trabalha-se musicalmente ritmo, dinâmica, sons graves, médios e agudos.
O músico e oficineiro já ministrou essa oficina para mais de 5 mil pessoas, entre professores, alunos, meninos de rua, crianças especiais, terceira idade, desde 1997.
25 vagas
Contatos: 9287.0886/chicdornelles@yahoo.com.br

Oficinas de Cataventos
Com Débora Sarmento
Os cataventos serão feitos de papéis e outros materiais previamente preparados pela oficineira. Não é necessário inscrição nem levar qualquer material, pois será por ordem de chegada para aproximadamente 40 crianças por turma,  entre 5 e 15 anos, em sistema de rodízio (aprox. um grupo de 20 crianças a cada meia hora). Responsáveis poderão participar auxiliando na confecção e aproveitando a atividade como proposta interativa entre pais e filhos. Quem quiser, poderá deixar seu catavento para ser “plantado” posteriormente na Travessa dos Cataventos ou no Jardim Sapato Florido.
Contato: Oficina de Arte Sapato Florido da CCMQ 3226-4825.

Oficina DiverSOM
Com BatuKatu Núcleo de Estudos e Vivência em Música Corporal RS, conduzida por Elinka Matusiak
Diversidade e divertimento são as palavras que ilustram a temática desta oficina de música corporal oferecida pelo Núcleo BatuKatu. Por meio de jogos e dinâmicas de criação e improvisação, a oficina pretende dar uma amostra do vasto universo de possibilidades musicais que o corpo humano oferece – onde imperam a espontaneidade, a liberdade de expressão, a coletividade e o prazer único de SER a própria música que se cria/vê/ouve/sente/dança! Crianças e jovens participantes serão desafiados a musicalizar alguns versos do poeta enquanto descobrem sonoridades inusitadas e aprendem a traduzir para o corpo ritmos como reggae, rock, funk e samba.
Contatos: 8420.7608/contato@batukatu.com.br

Oficina de trapézio, arame e circo
Com Mark Octave – artista caribenho com carreira internacional
Circuito circense de habilidades motoras que explora equipamentos e acessórios do universo do circo de maneira lúdica e informal, proporcionando uma vivência motora rica e diversificada que visa desenvolver e estimular a melhora das capacidades físicas e habilidades motoras. Equipamentos trabalhados: manipulação de objetos, arame, trapézio, tecido e minitrampolim acrobático
Contatos: 3084.7661/9361.7183 e batmanflyboy@hotmail.com

Oficina de malabares
Com Karine Rico – após participar de oficinas de malabarismo e acrobacias aéreas ,no ano de 2006, inicia um  trabalho junto ao grupo de circo-teatro  Painska Marinarka, com o qual realiza apresentações na 8° Convenção Brasileira de Malabarismo e Circo em SP.
A oficina inicia com o trabalho de corpo partir de aquecimentos, alongamentos, jogos e exercícios que estimulem a coordenação motora, associação e dissociação, ritmo, raciocínio rápido, imaginação, improvisação. Na sequência a manipulação dos objetos de malabarismo ,como clavas ,bolas, swings, bandeiras ,diabolôs, bambolês entre outros e introdução da  técnica de cada instrumento. Proporcionando a manipulação de elementos distintos para que se possa passar por distintas técnicas de malabarismo durante o período da oficina, lançamento, contato, swing, equilíbrio, spin, e outros. Num terceiro momento se propõem um treino livre onde cada criança possa se deter ao material que se interessou mais, brincando e descobrindo um pouco o prazer deste exercício e desta arte.
Contatos: 9220.7443, 8294.5653, kkzinharico@hotmail.comkkartescircenses@gmail.com

Oficina de malabares
Com Renata Nascimento – integrante do grupo ContraQueda; há cinco anos ministra a oficina de malabarismo – objeto como extensão do corpo no centro experimental de dança MEME.
Propõe divulgar o potencial educativo, formativo e lúdico do malabarismo. Mostrando a importância desta arte milenar circense enquanto parte relevante da cultura corporal e como instrumento para a melhora de qualidade de vida da nossa sociedade.
Contatos: 9733.8398, nascimento.renata@gmail.com

Oficina de acrobacia de solo
Com Juliana Coutinho – ex-integrante do Cirque de Soleil. Bailarina e acrobata, iniciou os estudos em dança aos 5 anos. Em 2000 se formou em Ballet Clássico na Escola Estadual de Dança Maria Olenewa, no Rio de Janeiro. Durante 3 anos cursou Teatro na Escola Tablado/RJ. Dançou nas Cias. de Dança Deborah Colker, Paulo Mantuano e Quasar. Em 2001 iniciou suas atividaes em acrobacia de solo e aérea, aonde integrou a Cia de Circo Intrépida Trupe e Cirque do Soleil. Atualmente ministra oficina de acrobacia aérea pela Descentralização da Cultura de Porto Alegre e faz parte do elenco do espetáculo Parafuso de Algodão.
Utiliza diferentes jogos teatrais e brincadeiras com o intuito de movimentar as crianças e apresentar a elas um pouco do universo circense de forma lúdica e descontraída. Cambalhotas, saltos, piruetas, muitos movimentos e brincadeiras, uma experimentação divertida e única.
Contato: 8242.0947

 

Mario Quintana por Antonio Hohlfeldt

hohlfeldt

Por ocasião dos 107 anos do nascimento do poeta Mario Quintana, este blog reúne depoimentos de personalidades da cultura local para falar de sua experiência de leitura da obra do poeta. O primeiro a compartilhar seu testemunho conosco foi o jornalista, professor e escritor  Antonio Hohlfeldt:

A poesia brasileira do século XX tem um conjunto de peso e variedade: na primeira linha, Carlos Drummond de Andrade, João Cabral de Melo Neto e Manuel Bandeira, ao lado de Mario Quintana. Não por acaso, eles aparecem juntos, em várias fotos, com Cecilia Meireles e Vinicius de Morais.

Drumond cantou a vacuidade da vida; Bandeira refletiu sobre a morbidade do cotidiano; Cabral falou a respeito da dureza do humano: Mario Quintana poetizou a passagem fluída e imperceptível do tempo.

Cada um deles, cada qual a seu jeito, foram poetas modernos, no sentido de terem sido absolutamente contemporâneos: falaram das coisas que todos vivemos e sentimos em nosso cotidiano. Por isso foram grandes. Quintana acrescentou um toque muito especial e sutil: seu olhar crítico é também cúmplice. Basta lermos os extraordinários poemas que fez sobre a(s) cidade(s), inclusive as suas de Alegrete a Porto Alegre, sem esquecer as invisíveis, nunca visitadas mas sempre pressentidas.

Este é Quintana, o admirável autor daquele poema das velhinhas que, em suas cadeiras de balanço, repentinamente se acordam, sobressaltadas: saem de seu momentâneo sono para perceberem, num susto, o próximo sono que se avizinha.

Olá!

Foto: Dulce Helfer (divulgação)

foto: Dulce Helfer (divulgação)

Seja bem-vindo ao blog do Ler Quintana: 107 anos! Aqui você poderá conhecer nosso projeto e ter acesso à nossa agenda, bem como encontrar outras informações referentes a Mario Quintana. Sinta-se à vontade para ler e comentar!

Saiba mais sobre o Ler Quintana:

Casa de Cultura Mario Quintana receberá três dias de comemorações em homenagem aos 107 anos de nascimento do poeta que empresta seu nome ao centro cultural. Além de celebrar o aniversário, o projeto “Ler Quintana: 107 anos” promove oficinas, debates e palestras com objetivo de estimular a leitura da obra de Mario Quintana.

Esta é a primeira comemoração de aniversário do poeta que conta com o apoio da Festa Literária de Porto Alegre (FestiPoa Literária) – que está atuando na produção e divulgação do evento. Ler Quintana também tem o apoio da Associação de Amigos da Casa de Cultura Mario Quintana (AACMQ), da Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ), do Banrisul e da Secretaria de Cultura do Estado do RS (Sedac-RS).

Todas as atividades acontecerão na Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ – Rua dos Andradas, 736, Porto Alegre, RS). A programação tem entrada franca e algumas oficinas e palestras precisam de inscrições prévias – clique aqui para mais informações.

Durante os três dias, haverá audições de música e poesias de Mario Quintana no Acervo Elis Regina. Na sala do Quarto do Poeta, a obra de Quintana será parte do ambiente, amplificada nas caixas de som.

Terça-feira, 30 de julho
11h e 14h – Oficina de cataventos com Debora Sarmento (Sapato Florido)
14h – Oficina de percussão corporal com BatuKatu – Hall térreo
14h – Oficina de trapézio e circo para crianças e adolescentes – Travessa
15h – Oficina de confecção de instrumentos com material reciclável – Chicão Dorneles (IEM) – juvenil – Cecy Frank
15h – Visita guiada com Traça Biblió
16h – Oficina “Para Gostar de ler poesia, basta ler… poesia” com Guto Leite – Sala A2B2*
17h – Lançamento da microgaleria do laboratório de Fotografia – Hall Leste 4° andar
18h – Oficina “Desencaixotando Quintana” com Eliana Mara Chiossi – Sala A2B2*
18h30 – Coquetel de lançamento do III Festival de Esquetes – Hall do Jardim
18h30 – Grupo vocal UPA – Foyer da Luís Cosme
19h – Meu encontro com Quintana – Palestra com Cláudio Levitan e mediação de Fernando Ramos – Mezanino
20h30 – Pocket show “Eu beijei Quintana na boca de meu irmão” com Sandro Dorneles – Mezanino
21h – Sarau Poemas de Quintana – Andréia Laimer, Cristina Macedo, Diego Petrarca, Eliana Mara, Letícia Schwartz, Moyses Lopes, Nanni Rios e Walney Costa – Mediação da FestiPoa Literária e Cabaré do Verbo – Mezanino

Quarta-feira, 31 de julho
14h – Contação de história e distribuição de livros Pé de Pilão com Jaqueline Rosa – Jardim da Sapato Florido
14h – Oficina de percussão corporal com BatuKatu – Hall térreo
14h – Oficina de malabares com Karine Rico – Travessa – Travessa
15h – Oficina de confecção de instrumentos com material reciclável – Chicão Dorneles (IEM) – juvenil – Cecy Frank
16h – Oficina “Para Gostar de ler poesia, basta ler… poesia” com Diego Petrarca – Sala A2B2*
18h – Oficina “Desencaixotando Quintana” com Eliana Mara Chiossi – Sala A2B2*
18h30 – Oficina “Os muitos Quintanas de Quintana: itinerário de leitura” com Diego Grando*
19h – A poesia de Mario Quintana – Conferência com Armindo Trevisan – Sala Luís Cosme
19h – Coral Cataventos – Travessa
20h – Orquestra Jovem do RS – Teatro Bruno Kiefer

Quinta-feira, 1° de agosto
10h – Oficina de Dança moderna e contemporânea – Eva Schul
12h – Música com banda Bombo Larai no Quindim – Travessa
14h – Oficina de percussão corporal com BatuKatu (IEM) – Hall térreo
14h – Oficina de acrobacia circense com Juliana Coutinho – Travessa
14h – Oficina de malabares com Renata Nascimento – Travessa
14h – Paradinha Literária com Christina Dias e Ana Terra – Sapato Florido
15h – Oficina de confecção de instrumentos com material reciclável – Chicão Dorneles (IEM) – juvenil – Cecy Frank
16h – Oficina “Para Gostar de ler poesia, basta ler… poesia” com Marô Barbieri – Sala A2B2*
18h – Oficina “Desencaixotando Quintana” com Eliana Mara Chiossi – Sala A2B2*
18h30 – Oficina “Os muitos Quintanas de Quintana: itinerário de leitura” com Diego Grando – Sala C2*
18h30 – “Leitor de rua” – Leitura de poemas de Mario Quintana com Marô Barbieri e grupo de leitores – Travessa dos Cataventos
18h30 – Stone Jazz Band – Travessa
19h – Mesa de debate e leituras com Sidnei Schneider e Diego Petrarca – Luís Cosme
19h – Lançamento do Sistema Sonoro da Galeria Radamés Gnatalli pela abertura da exposição de audiovisual e poesia da imagem com fotografias baseada na poesia de MQ
20h – Cabaré do Verbo Nos passos de Quintana – Mezanino

*Atividades que precisam de inscrição prévia (de 22 a 29 de julho). Clique aqui para mais informações.