Violão doado por Almiro Paiva Carvalho e Gerson Carvalho passa a integrar o Acervo Elis Regina | vídeo reprodução

Casa de Cultura Mario Quintana lança documentário sobre Elis Regina e recebe violão que pertenceu à cantora

Publicado em 15/06/2022

POR LUDWIG LARRÉ - ASCOM CCMQ
 

O canal do YouTube da Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ), instituição da Secretaria da Cultura (Sedac), lança no dia 23 de junho, às 20h, o documentário “Na parede da memória - Elis Regina”. Com argumento, roteiro e direção da cineasta mineira Elizabete Martins Campos e pesquisa de Carla Cassapo, o documentário em curta metragem foi gravado no mês de março na CCMQ e em outras locações de Porto Alegre. A produção tem patrocínio do Banrisul, viabilizado por meio da Associação dos Amigos da Casa de Cultura Mario Quintana (AACCMQ).

O filme traz depoimentos de diversas personalidades da cultura e de pessoas do convívio íntimo da artista. Um dos entrevistados é Almiro Paiva Carvalho, tio de Elis, que doou à instituição um violão que pertenceu à cantora. O violão assinado por Elis passa a integrar o Acervo Elis Regina, no 2º andar da CCMQ (Andradas, 736 - Centro Histórico), que concentra a maior coleção pública relacionada à artista no país. O Acervo Elis Regina também foi decisivo na viabilização de grande parte da iconografia do documentário, complementada por fotografias cedidas pelo jornalista Juarez Fonseca e pelo fotógrafo Luiz Eduardo Achutti. “Elis Regina: na parede da memória” reúne ainda imagens exclusivas de álbuns de família mantidos por Almiro Paiva Carvalho.

Elizabete Martins Campos é diretora do longa-metragem documental “My Name is Now”, sobre a trajetória de Elza Soares. O filme recebeu as estatuetas de melhor documentário, pela votação popular, e de melhor trilha sonora original, pela escolha do júri oficial do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, outorgado pela Academia Brasileira de Cinema em 2019. Para a produção de “Elis Regina: na parede da memória”, a cineasta mineira costura depoimentos do jornalista Juarez Fonseca, de grande proximidade pessoal com a cantora, e do também jornalista e músico Arthur de Faria, autor do livro “Elis, Uma Biografia Musical”. O apelo afetivo fica por conta das entrevistas de Aida Wailer Ferrás, ex-professora e amiga com quem Elis trocava cartas, e de familiares da cantora, como o tio Almiro Paiva Carvalho e o primo Gerson Carvalho.

O lançamento do documentário “Na parede da memória - Elis Regina” marca os 40 anos da morte da artista. Além de ficar disponível no YouTube da CCMQ, o filme também passa a ser exibido no Acervo Elis Regina, onde o violão assinado por Elis estará em exposição permanente. O espaço tem recebido uma atenção institucional toda especial por parte da CCMQ por ser a maior referência de acervo público brasileiro relativo a Elis Regina. A dimensão do acervo gera responsabilidade não apenas de salvaguardar, mas de ampliar os registros sobre uma das mais emblemáticas cantoras brasileiras. “O Acervo Elis Regina está permanentemente incorporando doações de itens avulsos e de coleções, como a do espólio do ator e escritor Zeca Kiechaloski, recebida em 2020. Em breve, devemos receber uma coleção muito significativa, com itens verdadeiramente muito raros, que está sendo oferecida pelo produtor Àllen Guimarãez, do Rio de Janeiro”, revela Diego Groisman, diretor da CCMQ. Boa parte do Acervo Elis Regina está disponível para acesso online.

CLIQUE PARA AMPLIAR
Patrocinador Master
Apoio
Realização