Filósofa, escritora e ativista Djamila fala sobre a representatividade no cinema negro | Foto: Thiago Bruno

Festival Cinema Negro em Ação começa nesta sexta-feira, Dia Nacional da Consciência Negra

Publicado em 19/11/2020

POR LUDWIG LARRÉ - CCMQ/ASCOM SEDAC

O Encontro com a filósofa e escritora Djamila Ribeiro abre a programação do I Festival Cinema Negro em Ação, às 12h desta sexta-feira, 20 de novembro, Dia Nacional da Consciência Negra. Djamila, uma das homenageadas do evento, conversa sobre a presença negra no audiovisual brasileiro. O bate-papo terá a participação das curadoras, Carol Anchieta e Camila de Moraes, com mediação da jornalista Clarissa Lima, da Secretaria da Cultura do Estado (Sedac). A representatividade no Cinema Negro é uma das pautas.

Assim como a grade completa, com as 20 horas de programação do Festival, o Encontro com Djamila tem transmissão ao vivo pela TVE-RS, canal 7.1 no sinal aberto, canal 7 na Net ou online no site da emissora. Também vai ser possível acompanhar as exibições pela fanpage da CCMQ, pela plataforma Cultura em Casa, da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, e pela TV Câmara Santa Maria, pelo canal 16 da Net e pelo canal 18.2 pelo sinal aberto, na região central do Estado.

A programação de abertura do I Festival Cinema Negro em Ação prossegue às 20h30, com a exibição do filme “De Cabral a George Floyd. Onde arde o fogo sagrado da liberdade”, dirigido por Paulinho Sacramento, do Rio de Janeiro, que concorre na categoria longa-metragem.

Encontros e homenagens

O I Festival Cinema Negro em Ação, promovido pela Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ) e pelo Instituto Estadual de Cinema (Iecine) – instituições da Secretaria de Estado da Cultura (Sedac) –, com patrocínio do Banrisul, vai prestar homenagens a pessoas de trajetória destacada na cultura negra e na promoção de ações afirmativas e inclusivas. Essas personalidades são a filósofa, ativista, escritora e acadêmica Djamila Ribeiro; o ator gaúcho Sirmar Antunes e a família Menezes, com a mãe Veralinda e os filhos Drayson, Sol e Sheron.

As homenagens ocorrem no dia 27 de novembro, juntamente com o anúncio dos vencedores do festival. Assim como Djamila, ao longo da programação, Sirmar Antunes e a família Menezes também participam de encontros virtuais com o público. Os encontros têm ainda a participação do coletivo de cultura urbana Família de Rua, de Belo Horizonte/MG e do Macumba Lab, coletivo de profissionais negras e negros do audiovisual gaúcho.

A família Menezes participa do encontro no dia 23, segunda-feira, às 17h. Na terça-feira, 24, às 17h, o encontro é com o coletivo Família de Rua. O encontro com Sirmar Antunes acontece no dia 25, quarta-feira, às 16h. Já na quinta-feira, dia 26, o encontro com o Macumba Lab começa às 16h.

Sirmar Antunes - Nascido em 1955, em Porto Alegre, iniciou a carreira artística como ator de teatro, nos anos 1970. Atuou em dezenas de peças, 18 longas e mais de 20 curtas.

Djamila Taís Ribeiro dos Santos - Filósofa, feminista negra, escritora e acadêmica brasileira, é mestra em Filosofia Política pela Universidade Federal de São Paulo. Importante referência intelectual negra, é autora dos best sellers “Quem tem medo do feminismo negro?” (2018) e “O Que é Lugar de Fala?” (2017).

Família Menezes - A mãe, Veralindá Mènezes é compositora, cantora, escritora, roteirista, atriz,educadora social e digital influencer. Suas obras tratam do empoderamento feminino, da valorização dos idosos, da educação antirracista e de amor. Seu público alvo são as mulheres, as famílias e os educadores. Seus dois livros infantis que quebraram paradigmas. “Princesa Violeta” (2008), criou a primeira princesa negra dos contos de fadas, e “Lilindda em Minha Amiga Rosinha” (2009), lançou o primeiro anjo negro da literatura brasileira. Alguns de seus contos e poesias estão publicados em quatro coletâneas e deram origem aos curtas-metragens “A Namoradeira” e “Minha outra Boca”. Drayson Menezzes é ator, produtor, diretor, preparador de elenco, estilista e empresário. Fundador do Coletivo Preto e da Príncipes Negros Cultural, é um dos grandes articuladores do movimento artístico dos atores negros cariocas, ora como produtor ora como diretor ou ator. Sol Menezzes é atriz, coach de atuação, produtora, digital influencer e empresária, sócia-fundadora da Príncipes Negros Cultural e integrante do grupo artístico e ativista-sociocultural Coletivo Preto, que revoluciona a cena artística carioca. Já atuou, produziu e dirigiu no teatro e no audiovisual. Atualmente, Integra o elenco da série “Irmandade” da Netflix. É uma das produtoras da ocupação teatral “Segunda Black” indicada o Prêmio Shell 2018. Como apresentadora e uma das mentoras e produtoras no Canal Tela Preta TV, marcou a história do audiovisual, em 2018, com um programa de variedades feito só por pessoas negras. A atriz Sheron Menezzes, contratada da Rede Globo, desde 2002, já esteve em 13 novelas e duas séries, além de participações em programas de variedades, filmes e espetáculos teatrais. Sheron é a irmã mais velha, que influenciou Drayson e Sol a trilharem a carreira artística. Os irmãos a seguiram também acrescentando um Z ao sobrenome. No ano passado estiveram juntos na produção e realização do curta-metragem “A Namoradeira”, com roteiro de roteirista Veralindá, no qual Sheron vive a protagonista “Naná”.

I Festival Cinema Negro em Ação – Abertura
Quando:
20 de novembro | sexta-feira
Horário: às 12 h e às 20h30
Onde: TVE-RS, canal 7.1 no sinal aberto, canal 7 na Net ou online no site da emissora; Fanpage da CCMQ e pela plataforma Cultura em Casa, da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. O Festival vai ser transmitido ainda pela TV Câmara Santa Maria, pelo canal 16 da Net e pelo canal 18.2 no sinal aberto, abrangendo a cidade e municípios vizinhos da região central do estado.

CLIQUE PARA AMPLIAR
Patrocinador Master
Patrocinador
Realização