Participantes não precisam ter formação acadêmica. Objetivo é criar uma rede de pessoas de diversas idades e áreas de atuação

Casa de Cultura Mario Quintana abre inscrições para grupo de estudo on-line gratuito sobre arte e natureza

Publicado em 05/07/2021

POR LUDWIG LARRÉ | ASCOM CCMQ

 

A iniciativa do recentemente criado Núcleo Educativo da Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ – Andradas, 736 – Centro Histórico de Porto Alegre), instituição da Secretaria de Estado da Cultura (Sedac), está relacionada à exposição Museu Baldio, que pode ser visitada no Espaço Maria Lídia Magliani e no Jardim Lutzenberger, no 5º andar do complexo cultural.

A atividade propõe a criação de uma pesquisa coletiva na qual cada participante é convidado a realizar e compartilhar com o grupo um projeto artístico, literário ou até mesmo científico. Os encontros virtuais acontecem nas quartas-feiras, de 14 de julho a 18 de agosto, das 18h às 20h. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas pelo formulário disponível no link https://forms.gle/H4bdydimvU7Zgu6i8, até o dia 12 de julho.

Os candidatos inscritos serão selecionados de acordo com a ordem de inscrição e a área de residência, sendo três pessoas por região de Porto Alegre e seis pessoas de outras cidades, com preferência para a região metropolitana. O grupo de estudo disponibiliza 30 vagas e os participantes que obtiverem presença mínima de 75% receberão certificado correspondentes a 12 horas.

A primeira edição do projeto Pesquisa Coletiva se propõe a expandir o tema das relações entre a arte, a natureza e a cidade. Conforme definem os organizadores, a motivação do curso é suscitar respostas para questões como o pensar coletivo da cidade e seus bairros, escrevendo novas histórias sobre esses lugares. A proposta busca ampliar o entendimento do passado e o vislumbre de futuro a partir das plantas que cultivamos, das árvores, das montanhas e dos arroios do território que habitamos e do que esses elementos contam sobre a nossa história.

PARTICIPANTES E DINÂMICA

O projeto tem o formato de um grupo de estudos experimental e ocorre ao longo de seis encontros com artistas e pesquisadores. “Não é necessário ter nenhum tipo de conhecimento formal prévio. Não é preciso ser artista ou pesquisador, muito pelo contrário. Queremos criar uma rede ampla de participantes de diversas idades, áreas de atuação e bairros de Porto Alegre e da região metropolitana, para que possamos ouvir e conhecer perspectivas diversas, e não apenas experiências acadêmicas ou já consagradas”, explicam Clara Marques, historiadora da arte, e Rafael Kayser, ciclo-ativista e estudante de Geografia. “Nossa ideia é reunir pessoas interessadas em investigar juntas temas que lhes atravessam, começando pelas plantas e expandindo essa visão para a cidade como um todo”, complementam os organizadores da atividade.

A articulação de vivências e experiências proposta pelo projeto conta com a participação de artistas, escritores e pesquisadores como Marcelo Chardosim, Ana Flavia Baldisserotto, Adalberto Muller, Amanda Guerrero, Tuane Eggers, Vicente Carcuchinski, Daiana Schröpel e a equipe do podcast Desapaga POA. Os primeiros três encontros focam na relação das mulheres com a natureza, com foco na produção de herbários, coleções de plantas secas e de ilustrações botânicas; os últimos três ampliam a perspectiva de enfoque ao usar os pontos de vista geográficos para explorar o território, as paisagens e os povoamentos de Porto Alegre e da região.

Grupo de estudos Pesquisa Coletiva: A arte, a natureza e a cidade
Quando:
encontros virtuais às quartas-feiras, de 14 de julho a 18 de agosto, das 18h às 20h
Inscrições gratuitas: até o dia 12 de julho pelo link https://forms.gle/H4bdydimvU7Zgu6i8
Onde: pelo Google Meet (o link será enviado por e-mail aos participantes)
Para quem: jovens e adultos, interessados em plantas, ecologia, desenho, fotografia, Biologia, Botânica, Artes Visuais, História, Geografia, Arquitetura e Urbanismo, Antropologia e outras áreas.

ORGANIZADORES

Clara Marques é mediadora cultural e pesquisadora independente. Formada em História da Arte (IA/UFRGS), atua com produções de arte, cultura e educação. Em 2021, começou o projeto de pesquisa-brincadeira "Guardiões da Begônia da Tia Maria" (@guardioesdabegonia), que busca preservar e multiplicar a begônia asa-de-anjo que está na sua família desde 1978. É assistente do Núcleo Educativo da CCMQ. 

Rafael Kayser é estudante de Geografia (IGEO/UFRGS), ciclo-ativista e pesquisador independente sobre Porto Alegre. A partir da experiência com a sua cidade natal, usa das técnicas desenvolvidas na graduação para difundir novas percepções sobre o passado e o presente de Porto Alegre. É também produtor musical e organizador cultural.

CONVIDADOS

Adalberto Muller
é professor da UFF, escritor e tradutor. Foi pesquisador visitante em Yale e no Instituto Leibniz/ZfL Berlin. Publicou recentemente Transplantações (E. Para.Texto, com ilustrações de Amanda Guerrero), o livro de contos O traço do calígrafo (Editora Medusa) e a tradução anotada da Poesia Completa de Emily Dickinson (Editora da UnB/Editora Unicamp). No prelo, está a sua retradução de Partido das coisas, de Francis Ponge (Iluminuras), além do livro de ensaios A imagem sob a imagem (Eduff). Em 2019, publicou junto a sua filha, Amanda Gael Guerrero, psicóloga e ilustradora, o livro Transplantações (do jardim da minha mãe).

Daiana Schröpel é artista visual e pesquisadora. Doutora em Artes Visuais com ênfase em Poéticas Visuais pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGAV-UFRGS, 2020). Mestra (2016) e bacharel (2013) em Artes Visuais pela mesma instituição. Investiga transversalidades entre arte, ciência e ficção e seus desdobramentos na contemporaneidade. Desde 2012 realiza exposições nas modalidades instalação, desenho, fotografia e objeto. Possui artigos científicos e textos publicados em revistas e anais de congressos sobre processos de criação em poéticas visuais. Vive e trabalha em Porto Alegre.

Marcelo Chardosim é artista multimídia, montador expositivo e produtor cultural, graduado em Artes Visuais na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Desde 2011, participa de exposições coletivas e individuais, no Brasil e no exterior. Atualmente pesquisa e desenvolve o projeto de arte colaborativa Parque da Solidariedade, em Alvorada/RS, onde mora há vinte anos. É responsável pela organização da exposição Museu Baldio, em cartaz na CCMQ.

Vicente Carcuchinski é artista visual multimídia, graduado em jornalismo pela PUCRS e mestre em Poéticas Visuais pela UFRGS. Estudou fotografia em Londres e atua no mercado audiovisual há dez anos. Investiga o tecido de memórias e imaginários urbanos, tendo feito sua primeira exposição individual na Assembleia Legislativa do Estado, em 2012. Participou de outras exposições e projeções coletivas em Porto Alegre, Curitiba, São Paulo, Arles (França) e Berlim (Alemanha). Coordena, desde 2018, o Grupo de Interlocução em Fotografia da Planta, do qual foi um dos fundadores.

Tuane Eggers é jornalista formada pela Univates e mestra em Poéticas Visuais pela UFRGS. Tem o trabalho em artes visuais focado na fotografia, com temáticas relacionadas aos fluxos e à impermanência da vida. Sua pesquisa atual no campo visual investiga relações de co-criação com fungos. Algumas de suas imagens fotográficas foram exibidas em dois longas-metragens nacionais. Possui cinco publicações independentes em fotolivros. Seu trabalho já foi exposto em países como Japão, Alemanha e Rússia. Além da fotografia, também atua no campo audiovisual. (www.tuaneeggers.com).

Ana Flavia Baldisserotto é formada pelo Instituto de Artes da UFRGS (1995), mestre em História, Teoria e Crítica de Arte pelo PPGAV-UFRGS (1999). Coordena grupos experimentais independentes de prática artística e atua, desde 2001, como instrutora de artes visuais no Atelier Livre da Prefeitura de Porto Alegre, com ênfase na aproximação entre arte e vida cotidiana. Nestes contextos, tem se dedicado a projetos em rede, de cunho colaborativo, coletivizante e multidisciplinar, como Armazém de Histórias Ambulantes, Bordado Inventado na Praça, Observação Orgânica e Habite-se.

Amanda Gael Guerrero Müller é psicóloga clínica de abordagem Junguiana e emprega técnicas de arteterapia. ilustradora e artista não-binária (ele/ela/elu). Na arte, se expressa também através da música, escrita e dança. Suas últimas publicações como ilustradora foram Transplantações (Adalberto Müller - E. Para.Texto), Narrativas sobre Feminilidades (CNV) e Impropérios, da poeta Luciana Martins (Kotter Editorial). Além da clínica particular, é voluntária na RASMI (Rede de Apoio a Saúde Mental Indígena), no Grupo de Estudos Junguianos do CAEP-UnB e no projeto Acolhe LGBT+.

Desapaga POA é o podcast que veio para desapagar os apagados da história de Porto Alegre. Selecionado no edital Criação e Formação Diversidade das Culturas, da Secretaria de Estado da Cultura – SEDAC/RS – e Fundação Marcopolo, é realizado com recursos da Lei 14.017 de 2020 (a Lei Aldir Blanc), o projeto pode ser acompanhado pelo Spotify e pelo site https://www.matinaljornalismo.com.br/desapagapoa/.

ENCONTROS

Parte I - As plantas, a arte e as mulheres
14 de julho, quarta-feira - Apresentação com Marcelo Chardosim e Museu Baldio.
21 de julho, quarta-feira - Natureza poética: Herbários, com Tuane Eggers, Vicente Carcuchinski, Adalberto Muller e Amanda Guerrero.
28 de julho, quarta-feira - Ilustração botânica, com Ana Flavia Baldisserotto e Daiana Schropel.

Parte II - As paisagens, os arroios e as populações
4 de agosto, quarta-feira - “Quando cheguei aqui, era tudo mato”, com Desapaga POA.
11 de agosto, quarta-feira - “Se tudo era mato, onde estão nossos rios?”, com Marcelo Chardosim.
18 de agosto, quarta-feira - Compartilhamento de pesquisas e projetos.

CLIQUE PARA AMPLIAR
Patrocinador Master
Apoio
Realização