Tributo a Lory F. em 1996 | Foto: Fernanda Chemale

Quatro mulheres e muita história do rock em live paralela à exposição Lory F.

Publicado em 23/08/2021

POR LUDWIG LARRÉ | ASCOM CCMQ

 

Elas têm em comum o rock’n’roll na veia, vivências compartilhadas com Lory F. (Lorice Maria Finocchiaro, 1958-1993) e muita estrada na cena roqueira do Rio Grande do Sul e do Brasil. A live “Mulheres no Rock”, na terça-feira, 24 de agosto, às 20h, pelo Instagram @loryfband, reúne a cantora, compositora, guitarrista, arte-educadora e produtora musical, Laura Finocchiaro – irmã de Lory –, a baterista Biba Meira, a guitarrista Lucinha Turnbull e a produtora cultural Cida Pimentel, diretora do Instituto Estadual de Música (IEM) e da Discoteca Pública Natho Henn, instituições da Secretaria de Estado da Cultura (Sedac).   

A exposição “Lory F. - Você vai ser obrigado a me escutar” permanece até 24 de outubro na Sala Radamés Gnattali, no quarto andar da Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ – Andradas, 736 – Centro Histórico de Porto Alegre), instituição da Secretaria de Estado da Cultura. O horário de visitação, de segundas a sábados, vai das 10h à 18h. A mostra documental, com curadoria de Joana Alencastro, exibe fotos, vídeos, cartazes, flyers, notícias de jornais, desenhos, bilhetes, documentos pessoais e outros itens ligados à vida e à trajetória musical de Lory Finocchiaro.

Testemunha e protagonista dos bastidores do rock gaúcho desde a década de 1970, a produtora cultural Cida Pimentel, adianta o clima da live “Mulheres no Rock”: “A gente vai conversar sobre a Lory, sobre as mulheres no rock’n’roll. Lucinha com uma visão mais macro, ela que entre muitos trabalhos com Rita Lee, gravou “Refavela”, com Gilberto Gil. Lucinha se tornou referência não apenas como mulher guitarrista, mas como guitarrista em uma cena preponderantemente masculina”.

Cida Pimentel destaca ainda a participação da guitarrista Laura Finocchiaro e da baterista Biba Meira. “A Laura, com uma enorme trajetória como artista e produtora cultural, traz os relatos de irmã da Lory; a Biba era uma das poucas mulheres tocando e fazendo turnê no rock dos anos 80. Vai rolar muita história engraçada de backstage, muita risada, mas também papos mais sérios sobre a importância da presença feminina no nosso rock. Nós fomos feministas e independentes muito antes da geração atual”, comenta a diretora do IEM e da Discoteca Pública Natho Henn.

Laura Finocchiaro é cantora, compositora, guitarrista, produtora musical, arte-educadora e voluntária em projetos de inclusão social. Viveu em São Paulo durante três décadas e, em 2014, transferiu-se para o Rio de Janeiro com sua produtora de áudio. Criou trilhas sonoras originais como a do programa infantil “TV Colosso” (Rede Globo) e dos reality shows “Casa dos Artistas” (SBT) e “A Fazenda” (TV Record).  

Biba Meira, considerada uma das melhores bateristas brasileiras, iniciou a carreira em 1984, com a banda Urubu Rei. Consolidou-se como referência na bateria com a DeFalla e trabalhou com Wander Wildner, Edgard Scandurra, Justine e As Gurias, entre outras formações. Licenciada em música (IPA) e especialista em Pedagogia da Arte (UFRGS), Biba fundou, em 2015, As Batucas Orquestra Feminina de Bateria e Percussão, primeiro grupo de percussão e bateria formado exclusivamente por mulheres em Porto Alegre. 

A paulistana Lucinha Turnbull mudou-se para Londres aos 16 anos, onde formou o grupo folk Solid British Hat Band. De volta ao Brasil, no início da década de 1970, fez show de abertura para os Mutantes e  formou a dupla Cilibrinas do Éden, com Rita Lee. Permaneceu com Rita na guitarra e nos vocais da banda Tutti Frutti. Em 1977, participou dos vocais de "Refavela" e "Refestança", com Gilberto Gil e Rita Lee. Ao longo da carreira, tocou e cantou em discos de Caetano Veloso, Moraes Moreira, Guilherme Arantes e Erasmo Carlos, entre outros grandes nomes.

Live “Mulheres no Rock”
Quando:
 24 de agosto | terça-feira
Horário: 20h
Onde: Instragram @loryfband

CLIQUE PARA AMPLIAR
Patrocinador Master
Apoio
Realização