Espaço Maria Lídia Magliani é uma das novas áreas em que a CCMQ amplia a difusão das artes visuais | Foto: Kevin Nicolai

CCMQ abre cinco novas exposições de artes visuais em setembro

Publicado em 08/09/2021

POR LUDWIG LARRÉ | ASCOM CCMQ


Com recentes indicações em três categorias do XIV Prêmio Açorianos de Artes Plásticas (Destaque Ações de Difusão e Inovação Institucional, Destaque Acervos e Destaque Instituição), a Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ – Andradas, 736 – Centro Histórico de Porto Alegre), instituição da Secretaria de Estado da Cultura (Sedac), consolida posição de referência como espaço de difusão das artes visuais. O intenso calendário de exposições com abertura programada para o mês de aniversário da CCMQ reafirma esse protagonismo, reunindo novos artistas promissores e nomes consagrados no cenário internacional.

A Exposição "Pesquisa Coletiva: a arte, a natureza e a cidade” ocupa, a partir do dia 16 de setembro, o Espaço Maria Lídia Magliani, no 5º andar, junto ao hall do Jardim Lutzenberger. A mostra é resultado do projeto de pesquisa coletiva desenvolvido em encontros virtuais realizados nos meses de julho e agosto pelo Núcleo Educativo da CCMQ. “O grupo se formou em um seminário on-line e gratuito, que buscou suscitar respostas para questões como o pensar coletivo da cidade e seus bairros, escrevendo novas histórias sobre esses lugares”, explica Clara Marques, integrante do Núcleo Educativo da CCMQ, organizadora da exposição, juntamente com Rafael Kayser.

Entre os participantes do projeto de pesquisa que resultou na exposição estão biólogos, arquitetos, professores, geógrafos, agrônomos, escritores, fotógrafos, desenhistas e outros profissionais do Rio Grande do Sul e de estados como a Bahia e São Paulo, envolvidos com a linguagem artística e suas interações com a memória, o meio-ambiente e o espaço urbano. A exposição "Pesquisa Coletiva: a arte, a natureza e a cidade" também exibe uma obra do consagrado artista indígena Jaider Esbell, do povo Macuxi, de Roraima.

Com a obra consolidada nacional e internacionalmente, Jaider foi vencedor do Prêmio Funarte de Criação Literária (2010) e do Prêmio PIPA de Arte Contemporânea, categoria online (2016). Além da participação de Jaider Esbell, a exposição coletiva tem suporte do Museu Antropológico do Rio Grande do Sul (Mars), instituição da Sedac, que disponibilizou peças de seu acervo relacionadas à cultura dos povos originários e à ocupação pré-colonial indígena na cidade. O Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo, da Prefeitura Municipal, também é parceiro da iniciativa, cedendo o direito de uso de imagem de algumas fotografias históricas.

ESPAÇO INUSITADO

Ampliando as possibilidades dos espaços expositivos a locais até então não utilizados do complexo cultural, a partir do dia 17 de setembro, a instalação Inmersión, do artista visual Matheus Maurante, ocupa um poço de iluminação, localizado no 7° andar da CCMQ. Natural de Rosário do Sul-RS, o jovem artista é graduando em Artes Visuais pela UFRGS e entusiasta da serigrafia, da gravura e dos processos gráficos experimentais.

A instalação Inmersión, é uma videoperformance produzida pela equipe do Ateliê Casebre, estrutura na qual o grupo de artistas se instalou para imersão criativa em maio de 2020. Situado no Bairro IAPI, o atêlie ocupa os fundos de um imóvel ao lado da casa onde morou Elis Regina. Para compor o recorte de natureza no inusitado espaço do complexo cultural, Matheus Maurante e equipe utilizam plantas cultivadas no próprio Ateliê Casebre. “Uma das marcas da administração da CCMQ tem sido justamente essa expansão da ocupação de espaços, chegando à utilização do poço de luz como lugar de fruição de arte”, observa Diego Groisman, diretor da instituição.

Conforme Groisman, essa ampliação de espaços é um dos fatores que definiram as indicações da CCMQ ao Prêmio Açorianos de Artes Plásticas, promovido pela Secretaria Municipal da Cultura de Porto Alegre. “A Casa de Cultura Mario Quintana já ocupava uma posição de referência com a programação e os espaços destinados ao teatro, à música, ao cinema. As artes visuais cumpriram um papel fundamental durante este período de pandemia, permitindo que, tão logo fosse possível retomar a visitação pública, as pessoas pudessem dispor do ambiente de fruição artística onde todas as medidas sanitárias são cumpridas à risca. O Ieavi (Instituto Estadual de Artes Visuais) e o MACRS (Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul), também indicado ao Prêmio Açorianos, são duas das instituições da Sedac sediadas na CCMQ que têm sido parceiras fundamentais na consolidação de nosso complexo cultural entre os mais destacados espaços no segmento das artes visuais no Rio Grande do Sul”, comemora o dirigente cultural.

URUGUAIOS PELA PRIMEIRA VEZ EM PORTO ALEGRE

A Fotogaleria Virgílio Calegari, no 7º andar da Casa de Cultura, recebe, a partir de 21 de setembro, a exposição Nômades/Bikost, dos artistas uruguaios Gabriela Kostesky, de Montevidéu, e Gino Bidart, de Rivera. A mostra, viabilizada em colaboração com Consulado Geral do Uruguai no Brasil, apresenta pela primeira vez obras de Bidart e Kostesky em Porto Alegre.

Com trajetória reconhecida e linguagem marcada pela influência da pop art, Gabriela Kostesky utiliza técnicas de colagem, óleo e pastel que dão cores e formas à temática inspirada, sobretudo, no cinema e na música. Com larga trajetória, iniciada ainda na década de 1970 no país vizinho, Gino Bidart trabalha principalmente com pintura, desenho, tapeçaria e serigrafia. Ao longo das últimas décadas, o artista visual tem feito residências artísticas e exposições em países como o México, a Espanha e a França. Suas obras integram coleções privadas no Brasil, no México, em Porto Rico, na Inglaterra, nos Estados Unidos, na Argentina, no Canadá, na Espanha e no Uruguai.

SONORIDADES E CONCEPÇÕES VISUAIS

No Espaço Majestic, local de forte apelo visual por proporcionar a observação através das vitrines da Rua Sete de Setembro e da Travessa dos Cataventos, a instalação do artista Leandro Machado, abre para visitação no dia 23 de setembro. Machado trabalha com escrita e instalações sonoras, utilizando instrumentos musicais para compor suportes visuais que dialogam com a temática da liberdade inspirada pela poesia "Violões que choram", de Cruz e Souza.

Durante o período de montagem da instalação, o público poderá interagir e trocar impressões com o artista natural de Porto Alegre, formado em Artes Visuais e licenciado em Educação Artística pela UFRGS.  Leandro Machado é também especialista em Saúde Mental pela Escola de Saúde Pública de Porto Alegre, tendo como campo de residência, na época, o Hospital Psiquiátrico São Pedro. O artista foi vencedor do 1º Prêmio de Arte Contemporânea da Aliança Francesa, concedido pela Aliança Francesa de Porto Alegre, no ano de 2017.

COLABORADORES DA CCMQ TAMBÉM EXPÕEM

Já o Espaço Banrisul, também no térreo, junto à Travessa dos Cataventos, recebe a partir de 25 de setembro a exposição Brecha, que reúne obras de artistas que fazem parte das equipes da CCMQ. Com uma variedade de suportes, que passam por trabalhos de videoarte, instalação e fotografia, a mostra apresenta a produção artística de estagiários, funcionários terceirizados e produtores culturais que atuam na instituição.

Além das exposições com abertura ao longo do mês de aniversário, a CCMQ mantém a mostra fotográfica montada pelos artistas Santiago Pooter e Kevin Nicolai, no recentemente inaugurado Laboratório Vânia Toledo. A exposição “Lory F. – Você vai ser obrigado a me escutar”, com curadoria de Joana Alencastro, que reúne registros da carreira da emblemática roqueira porto-alegrense, permanece na Sala Radamés Gnattali, no 4º andar, até o final de outubro.

SERVIÇO:

Exposição Coletiva “A arte, a natureza e a cidade”
Abertura:
16 de setembro
Onde: Espaço Maria Lídia Magliani – 5º andar da CCMQ
Visitação: segundas a sábados, das 10h às 18h

Instalação Inmersión
Abertura:
17 de setembro
Onde: Poço de iluminação – 7º andar da CCMQ
Visitação: segundas a sábados, das 10h às 18h

Instalação Nômades/Bikost
Abertura:
21 de setembro
Onde: Fotogaleria Virgílio Calegari, no 7º andar da CCMQ
Visitação: segundas a sábados, das 10h às 18h

Instalação Leandro Machado
Abertura:
23 de setembro
Onde: Espaço Majestic, térreo da CCMQ
Visitação: segundas a sábados, das 10h às 18h

Exposição “Brecha”
Abertura:
25 de setembro
Onde: Espaço Banrisul, térreo da CCMQ
Visitação: segundas a sábados, das 10h às 18h

CLIQUE PARA AMPLIAR
Patrocinador Master
Apoio
Realização