Artista multimídia indígena e escritora gaúcha dialogam sobre natureza e arte-educação | Fotos: Parmênio Citó e Mishta

Conversações: natureza da memória com pedagogias para intermundos

Publicado em 28/09/2021

POR LUDWIG LARRÉ | ASCOM CCMQ

O Projeto Conversações recebe o artista multimídia indígena Jaider Esbell e a escritora e produtora cultural gaúcha Mishta. Eles falam sobre a natureza da memória com pedagogias para intermundos, em live pelo Instagram @ccmarioquintana às 19h da quinta-feira, 30 de setembro. A atividade integra as ações paralelas e transversais à exposição “Pesquisa Coletiva: A arte, a natureza e a cidade”, que pode ser visitada até 30 de novembro no Espaço Maria Lídia Magliani, 5º andar da Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ – Andradas, 736 – Centro Histórico de Porto Alegre), instituição da Secretaria de Cultura do Estado (Sedac).

A exposição “Pesquisa Coletiva: A arte, a natureza e a cidade”, com organização de Clara Marques e Rafael Kayser, é resultado de projeto desenvolvido pelo Núcleo Educativo da CCMQ nos meses de julho e agosto. Entre os participantes da ação que resultou na exposição estão biólogos, arquitetos, professores, geógrafos, agrônomos, escritores, fotógrafos, desenhistas e outros profissionais do Rio Grande do Sul e de estados como a Bahia e São Paulo. A mostra reúne a produção do grupo envolvido com a linguagem artística e suas interações com a memória, o meio-ambiente e o espaço urbano. A exposição também exibe uma obra do consagrado Jaider Esbell, do povo Macuxi, de Roraima.

Artista multimídia e curador independente, Jaider Esbell trabalha diferentes suportes, como desenhos, pinturas, vídeos, performances e textos, com uma temática voltada à cosmovisão de seu povo, as narrativas míticas e a vida cotidiana nas comunidades amazônicas. Definindo suas proposições artísticas como artivismo, as pesquisas de Esbell combinam discussões interseccionais entre arte, ancestralidade, espiritualidade, história, memória, política e ecologia. Um dos destaques de suas elaborações é o txaísmo – modo de tecer relações de afinidades afetivas nos circuitos interculturais das artes pautadas pelo protagonismo indígena.

Em 2016, ganhou o Prêmio Pipa, categoria online. Em 2018, expôs “TransMakunaima, O Buraco é mais Embaixo”, na Casa das Artes, em Manaus. Em 2020, participou de “Véxoa: nós sabemos”, mostra coletiva de arte indígena na Pinacoteca do Estado de São Paulo. Em 2021, sua exposição individual “Apresentação: Ruku” esteve na Galeria Millan, em São Paulo. É artista convidado da 34ª Bienal de São Paulo e curador do projeto “Moquém_Surarî”, exposição de arte indígena contemporânea em cartaz no Museu de Arte Moderna de São Paulo. Ao lado de Mishta, produz o podcast “Nhexyrõ: artes indígenas em rede”.

Elisa Gottfried (Mishta), nascida em São Borja-RS, em 1986, publicou os livros artesanais “Poemas Insones”, “Silvo do Silêncio” e “Mais Profético que Poético”. É co-fundadora da produtora Sem Início Sem Fim, e graduanda em Artes Visuais pela UFRGS. Também é co-criadora da imersão artística “Sonhando Poesia”, vivência online artística de pesquisa com base nos sonhos, que resultou na edição do livro “POE|SONHOS”. Arte-educadora no Coletivo Ecoaecoa de arte-educação popular, Mishta é condutora da Imersão em Literatura do Projeto Protocolo Babel, produzido pelo Laboratório Escola de Arte Popular.

Conversações: Jaider Esbell e Mishta - Natureza da memória com pedagogias para intermundos 
Onde:
Instagram @ccmarioquintana
Quando: 30 de setembro | quinta-feira
Horário: 19h

CLIQUE PARA AMPLIAR
Patrocinador Master
Apoio
Realização