Fotos: Karol Saldanha e Ana Alexandrino

Letrux e Maíra Freitas no Casa Virtual Especial no Dia da Música Popular Brasileira

Publicado em 15/10/2021

POR LUDWIG LARRÉ | ASCOM CCMQ

O Dia da Música Popular Brasileira, comemorado no dia 17 de outubro, em referência à data de nascimento da compositora e maestrina Chiquinha Gonzaga, tem edição especial do projeto Casa Virtual. A surpresa programada pela Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ), instituição da Secretaria de Estado da Cultura (Sedac), reúne a pianista, cantora, compositora e arranjadora Maíra Freitas e a cantora Letrux. O Casa Virtual com as jovens e consagradas artistas cariocas tem transmissão ao vivo, às 20h deste domingo, pelo Instagram @ccmarioquintana.

O encontro, com apresentação a cargo da produtora musical Alice Castiel, promete uma celebração da presença feminina na música brasileira. Pianista de sólida formação clássica, vinda de família de músicos, Maíra Freitas é filha de Martinho da Vila e irmã de Martn’ália. Letícia Novaes, a Letrux, apelido carinhoso que ganhou dos amigos, transita pela literatura e pela música, com trajetória consolidada nos cenários nacional e internacional.

Maíra Freitas lançou o primeiro CD solo, em 2011, pela gravadora Biscoito Fino. “Maíra Freitas” teve produção de Martn’ália e participação de Martinho da Vila. Em 2012, acompanhada pela Orquestra da Mangueira, cantou a música “Basta de Clamares Inocência”, de Cartola, no DVD de Alcione “Duas Faces Ao Vivo na Mangueira”. Em 2013, fez a direção musical, arranjos e atuou como cantora e pianista ao lado de sua irmã Mart'nalia no disco “Carnavalança - Carnaval para Crianças”, lançado pela Biscoito Fino. O disco conta com participações de grandes nomes da Música Brasileira como Chico Buarque, Maria Rita, Martinho da Vila, Luiz Melodia, Paula Lima e Evandro Mesquita. 

Nesse mesmo ano, apresentou-se em festivais em Lisboa, Porto e na Alemanha, além de ser destaque na programação do Ano Brasil em Portugal. Na América Latina, fez shows no Uruguai e na Argentina. Em 2013, no Recife, no festival Porto Musical/Womex, botou uma multidão a dançar, acompanhada apenas por percussão, e inovando com loops entremeados ao virtuosismo no piano. O mesmo show levantou o público do badalado festival “Back 2 Black”, no Rio de Janeiro. Ao longo de 2014, Maíra seguiu com turnês e shows mundo afora, com destaque para a apresentação no Brasil SummerFest/Central Park Summer Stage, em Nova Iorque.

Em 2015, fez a trilha original e a direção musical do espetáculo infantil “Quero Ser Ziraldo”; compôs e gravou o choro “Centro da Cidade” para o projeto Álbum Pitoresco Musical. No mesmo ano, lançou seu segundo CD, “Piano e Batucada”, sofisticado e divertido disco produzido por Sacha Amback, com capa do mestre Cafí e participações de Martn’ália, João Sabiá, Filipe Catto, Felipe Cordeiro e do Ilê Aiyê!

Em 2017 e 2018, participou do Projeto Refavela 40, ao lado de Gilberto Gil, Céu, Moreno Veloso, Anelis Assumpção e Mestrinho. O projeto virou filme distribuído pela HBO Brasil. Em 2018, fez a trilha original do filme “Sementes” (Melhor Documentário no Montreal Black Film Festival), além de diversas trilhas para filmes de animação e peças de teatro. Em 2019, lançou o projeto Jazz das Minas, uma banda só com mulheres, que faz releituras jazzísticas de músicas populares. A banda estreou no festival Jazzing, em Luanda, Angola. Com a pandemia, Maíra se reinventou, deu aulas, ampliou seus trabalhos no home estúdio e fez lives para diversos portais como Itaú Cultural, Sesc e Twitch. Recentemente, realizou quatro shows na periferia do Rio de Janeiro com o projeto Jazz das Minas, através de editais da Prefeitura e do Governo do Estado.

Letrux, apelido carinhoso que Letícia ganhou dos amigos, ficou conhecida em todo o país com o lançamento do primeiro disco solo, “Em noite de climão” (Joia Moderna, 2017). A escritora, cantora, compositora, poeta e atriz Letícia Novaes é um dos nomes de maior destaque no cenário da música independente contemporânea. Letícia foi atriz em peças, seriados e filmes. Trabalhou com locução e manteve durante 9 anos a banda Letuce, junto a Lucas Vasconcellos. Em 2015, publicou o livro de estreia, “Zaralha – Abri minha pasta” (Editora Guarda-Chuva). Em 2021, lançou “Tudo que Já Nadei” (Editora Planeta), fazendo com que seus enredos e sensações se costurem entre a música e a palavra. Alerta e sensível às questões de nosso tempo, Letícia acompanha e apoia causas como o feminismo, as lutas pela igualdade de gêneros e o enfrentamento ao racismo e à homofobia.

“Letrux em Noite de Climão”, produzido por Arthur Braganti e Natalia Carrera, acumulou excelentes prêmios e impulsionou Letícia para um lugar privilegiado na cena indie-pop nacional. Os shows rodaram por todo o Brasil e por Portugal (Lisboa, Porto e Coimbra), ganhando um registro audiovisual. “Letrux em Noite de Climão - Ao Vivo” foi gravado em setembro de 2019, no Auditório Ibirapuera, em São Paulo, com direção de Tata Pierry.

“Letrux Aos Prantos”, lançado em 13 de março de 2020, ou no dia em que o Brasil parou com a pandemia do novo Covid-19, é uma ode à emoção. Com direção artística de Letícia Novaes, o segundo disco da era Letrux foi gravado no estúdio da Red Bull Station e realizado através do edital Natura Musical, com distribuição pela Altafonte Brasil. O registro conta com participações especiais de Liniker e Luisa Lovefoxxx. É um álbum mais maduro e denso, que não deixa de conter as ironias do cotidiano e do destino de Letícia.

Por conta da pandemia, a turnê de lançamento foi adiada e toda propagação do álbum foi realizada de forma virtual. Nesse período, foram lançados cinco videoclipes das canções de “Aos Prantos”. O álbum foi indicado ao Grammy Latino, na categoria “Melhor Álbum de Rock ou Música Alternativa em Língua Portuguesa”, e ao prêmio APCA 2020, na categoria “Top 50 discos”. Como continuidade do álbum, no fim de 2020, foi lançado digitalmente o EP Prantos Pandêmicos, onde cada integrante da banda revisitou e produziu uma faixa do disco de forma inusitada. O trabalho gerou um conteúdo fonográfico e cinco videoclipes que tiveram a direção e o olhar de Letícia Novaes.

Casa Virtual Especial – Maíra Freitas e Letrux - Dia da Música Popular Brasileira
Quando:
17 de outubro | domingo
Horário: 20h
Onde: Instagram @ccmarioquintana

CLIQUE PARA AMPLIAR
Patrocinador Master
Apoio
Realização