Laura Finocchiaro canta músicas marcantes da carreira de Lory F. | Foto: reprodução/vídeo

Lançamento de documentário e live musical encerram ciclo de homenagens da CCMQ a Lory F.

Publicado em 19/10/2021

POR LUDWIG LARRÉ | ASCOM CCMQ

A semana de encerramento da exposição “Lory F. - Você vai ser obrigado a me escutar” conta com o lançamento do documentário “Sinal de Alerta - Lory F.”, dirigido pelos jovens cineastas Fredericco Restori e Natália Pimentel. A agenda também tem show de Laura Finocchiaro, irmã de Lory, interpretando músicas da homenageada. Aberta no mês de julho, com curadoria de Joana Alencastro, a mostra, realizada em parceria com a Discoteca Natho Henn, ainda pode ser visitada até as 17h de sábado, 23 de outubro, na Sala Radamés Gnattali, no 4º andar da Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ - Andradas, 736 - Centro Histórico de Porto Alegre), instituição da Secretaria de Estado da Cultura (Sedac).

As últimas das várias ações on-line paralelas à exposição presencial iniciam na quinta-feira, 21 de outubro, às 21h, com uma live pelo Instagram @loryfband. A atriz Deborah Finocchiaro, irmã caçula de Lory, conduz a conversa com os realizadores do documentário, a curadora da mostra e Ricardo Finocchiaro, filho da cantora, compositora e baixista Lorice Maria Finocchiaro (Lory F. - Porto Alegre, 1958-1993). No sábado, 23 de outubro, às 18h30, pelo YouTube da CCMQ, Laura Finocchiaro, cantora, instrumentista e compositora, radicada em São Paulo, em formato guitarra e voz, revisita canções marcantes da trajetória da irmã. Logo em seguida, acontece o lançamento do documentário “Sinal de Alerta - Lory F.”, que estará disponível no mesmo canal a partir das 19h30min.

DOCUMENTÁRIO “SINAL DE ALERTA - LORY F.”

O diretor de “Sinal de Alerta - Lory F.”, Fredericco Restori, explica que a realização em curta-metragem conta de forma poética e experimental a intensa vida da baixista, cantora e compositora. “Numa poesia beat visual, o filme viaja para o passado de forma lisérgica ao rebobinar o tempo e as imagens de arquivo, como uma fita cassete ou VHS, retratando a rebeldia dessa artista ímpar, que ocupou seu espaço no rock’n’roll numa época em que poucas mulheres conseguiam conquistar espaços. Foi bagunçando o comportamento da chamada alta sociedade de Porto Alegre e enfrentando a Aids, numa época repleta de preconceito e ignorância, que Lory F. se tornou referência para sua geração”, comenta Restori.

SHOW “LAURA CANTA LORY” - COM LAURA FINOCCHIARO

Laura, a “irmã Finocchiaro do meio”, é cantora, compositora e produtora musical. Autora de mais de mil canções, produziu e lançou 13 discos autorais. Criou a produtora de áudio e o selo Sorte Produções e vive atualmente em São Paulo. Coube a ela a mixagem do disco póstumo lançado em 1996. “Lory, no hospital, pediu que eu mixasse e finalizasse o álbum. Ela me disse que sabia que sua música iria acontecer, mas ainda não era naquele momento”, emociona-se Laura, ao lembrar a trajetória da irmã e agradecer as homenagens prestadas pela CCMQ. Além da exposição e das várias ações paralelas, a instituição inaugurou o Palco Lory F., no 4º andar do complexo cultural. “Lory quebrou paradigmas com ideias à frente do tempo. A morte de Lory, vítima da Aids, foi um grito de alerta, uma antena para a geração dela. Vários músicos se deram conta do que estava acontecendo a partir da morte da Lory”, comenta.

Em formato guitarra e voz, Laura Finocchiaro vai apresentar músicas do álbum “Lory F. Band” e canções inéditas, transpondo para a densidade e o punch da guitarra algumas das frases que Lory fazia no contrabaixo. “Lory e eu começamos a estudar música juntas. Eu, mais metódica, segui os estudos de violão, depois violão clássico, guitarra, canto e composição. Lory foi aprender o rock’n’roll nas ruas. Revendo e estudando as harmonias criadas por Lory F., a maneira como ela encadeava os acordes, as escalas de blues são marcantes, o uso das blue notes da escala pentatônica, daquela música de feeling, sensibilidade, amor e paixão que fazíamos desde os anos 1970”, relembra Laura Finocchiaro.

Live sobre o documentário “Sinal de Alerta – Lory F.”
Quando:
21 de outubro | quinta-feira
Horário: 21h
Onde: Instagram @loryfband

Show “Laura canta Lory” – com Laura Finocchiaro
Quando:
23 de outubro | sábado
Horário: 18h30
Onde: YouTube da CCMQ

Lançamento do documentário “Sinal de Alerta – Lory F.”
Quando:
23 de outubro | sábado
Horário: 19h30
Onde: YouTube da CCMQ


LORY F.

Nascida em Porto Alegre, em 24 de setembro de 1958, Lory F. (Lorice Maria Finocchiaro) é figura essencial para o rock’n’roll brasileiro. A partir dos anos 1970, a baixista, cantora, compositora, produtora musical e desenhista fez parte de inúmeras bandas, como Cor de Rosa, Sempre Livre, Sombras da Noite, Pretty Woman Band e a sua Lory F. Band. Lory faleceu em 11 de agosto de 1993, em decorrência de complicações da Aids, deixando o antológico disco póstumo, "Lory F. Band”, lançado em 1996.

Com produção das irmãs Laura e Deborah Finocchiaro e da amiga Fernanda Chemale, o álbum traz Lory como vocalista, baixista e líder da banda que reunia músicos lendários da cena rock gaúcha, como Ricardo “King Jim” Cordeiro no sax e voz (principal parceiro de composição de Lory), Marcinho Ramos e Marcelo Fornazier nas guitarras, Edinho Espíndola e Edinho Galhardi na bateria. O disco "Lory F. Band” está em todas as plataformas digitais, com apoio da gravadora Cogumelo Records e distribuição da Nikita.

 

LORY F. NAS REDES SOCIAIS
Spotify: Lory F. - Lory F. Band
YouTube: LoryFband
Facebook: Lory Finocchiaro
Instagram: @loryfband

CLIQUE PARA AMPLIAR
Patrocinador Master
Apoio
Realização