Parte da programação do (26º) Porto Alegre em Cena, “Corpo-Acúmulo” tem apresentação terça e quarta, às 18h

“Corpo-Acúmulo”, dias 17 e 18, será resultado de 10 dias de residência na CCMQ – Foto: Ricardo Garcia

As apresentações da residência “Corpo-Acúmulo”, últimas atividades do (26º) Porto Alegre em Cena na Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ), acontecem nesta terça e quarta-feira (17 e 18), às 18h, em diferentes espaços da Casa. Ao todo, três atividades do festival foram realizadas na CCMQ: o espetáculo alemão “Rosa – apesar de tudo” e o gaúcho “A fome”, além da residência. Em 2019, o evento propõe uma discussão sobre o Brasil, quem somos e o futuro da humanidade, onde temáticas como processos imigratórios e povos originários no Brasil também dão a tônica dos encontros. Ingressos e programação completa: www.portoalegreemcena.com

A residência artística “Corpo-Acúmulo” apresentará o resultado de uma vivência de dez dias com atores, performers e bailarinos de ambos os sexos, selecionados pelos diretores Kenia Dias e Ricardo Garcia . A performance traz à cena uma investigação sobre as poéticas do acúmulo no corpo, som e espaço expandindo as possibilidades de montagem, demolição e reinvenção de dramaturgias propondo uma reflexão sobre o acúmulo e o vazio. A apresentação acontece em diversos espaços da CCMQ.

Na quinta e sexta (12 e 13), às 20h, teve “A Fome”, da Cia Espaço em Branco. Um monólogo intimista que busca proporcionar uma experiência sensorial e poética entre artista e público. A personagem interpretada por Sissi Venturin revela em sua performance uma fome voraz e sexual que incorpora mitologias e críticas a respeito da feminilidade, num relato ao mesmo tempo irônico, absurdo e trágico. A sessão de sexta teve tradução e interpretação para Língua Brasileira de Sinais (Libras).

“Rosa – Apesar de tudo”, espetáculo de origem alemã, traz ao palco questões urgentes e atuais, estabelecendo relações entre a biografia de Rosa Luxemburgo e os dias de hoje. Com cenas leves e bem-humoradas, a peça mistura diferentes artifícios artísticos numa experiência enriquecedora que mistura atuação com manipulação de marionetes e uma trilha sonora executada ao vivo. O espetáculo aconteceu no domingo (15).

Os espetáculos

“A Fome” tem sessões nesta quinta (12) e sexta (13) – Foto: Morgana Mazzon

A Fome
– 12 e 13 de setembro | às 20h | Teatro Bruno Kiefer | Segunda sessão com tradução e interpretação para a Língua Brasileira de Sinais (Libras)
– Ingressos: R$ 30 / R$ 15 (meia)
O monólogo intimista e impactante da Cia Espaço em Branco, cujo tom confidencial busca proporcionar uma experiência sensorial e poética entre artista e público, dá sequência à pesquisa da companhia: utilizar processos colaborativos que dialoguem com a criatividade do espectador, resultando numa performance-limite entre ritual e cyber. Com direção de João de Ricardo, a personagem interpretada por Sissi Venturin revela em sua performance uma fome voraz e sexual que incorpora mitologias e críticas a respeito da feminilidade, num relato ao mesmo tempo irônico, absurdo e trágico.
– Ficha técnica:
Direção: João de Ricardo / Autoria: Marcos Contreras e Sissi Betina Venturin / Elenco: Sissi Betina Venturin / Iluminação: Carina Sehn / Trilha Sonora: Daniel Roitman e grupo / Produção Musical: Daniel Roitman / Figurino: João de Ricardo e Sissi Betina Venturin / Vídeos: Jana Castoldi / Duração: 80 min / Recomendação etária: 18 anos

“Rosa” tem apresentação única no domingo (15) – Foto: Zé de Paiva

Rosa – Apesar de tudo
– 15 de setembro | às 20h | Teatro Bruno Kiefer
– Ingressos gratuitos – Distribuição de senhas uma hora antes do início da sessão
O espetáculo de origem alemã traz ao palco uma honesta exploração artística sobre algumas questões urgentes e atuais, estabelecendo relações entre a biografia de Rosa Luxemburgo e os dias de hoje, ao passo que evidencia mecanismos de poder e injustiças sociais recorrentes ao longo da história. Com cenas leves e bem-humoradas, a peça mistura diferentes artifícios artísticos numa experiência enriquecedora que mistura atuação com manipulação de marionetes e uma trilha sonora executada ao vivo. Sob direção de Anja Panse, a vida de Rosa Luxemburgo é encenada de maneira emocionante e contemporânea, com elementos de realismo fantástico que conferem ainda mais profundidade à montagem.
– Ficha técnica:
Texto e Direção: Anja Panse / Cenografia: Kathrin Krumbein / Dramaturgia e Direção de Produção: Barbara Kastner / Bonecos: Rodrigo Umseher e Ludwig Pauli / Elenco: Susanne Jansen, Lutz Wessel e Arne van Dorsten / Música: Annegret Enderle / Em cooperação com: Theater unterm Dach Berlin, Landesmuseum für moderne Kunst Cottbus, Uckermärkisches Nationaltheater – Kulturgut Metzelthin, fomentado com recursos do Ministério da Ciência, Pesquisa e Cultura do estado de Brandenburgo, parceria de mídia junge Welt e Melodie&Rhythmus // Turnê Brasil (2019) – Realização: Fundação Rosa Luxemburgo / Co-realização: Goethe-Institut / Tradução: Christine Röhrig / Design Gráfico: Murilo Thaveira / Produção de Objetos: Marcelo Leão / Responsável Técnico: Raquel Balekian / Coordenação Técnica: Grazi Vieira / Direção de Produção: Dora Leão / Produção: PLATÔ produções / Duração: 71 min / Recomendação etária: 12 anos

Corpo-Acúmulo (SP)
– 17 e 18 de setembro | às 18h | dependências da Casa de Cultura Mario Quintana
– Ingressos gratuitos – Distribuição de senhas uma hora antes do início da sessão
Com direção dos artistas Kenia Dias e Ricardo Garcia, fundadores do estúdiofitacrepeSP – espaço independente de arte sonora e movimento –, a mostra de resultado da residência artística realizada durante dez dias, dentro da programação do festival, traz à cena uma investigação sobre as poéticas do acúmulo no corpo, som e espaço expandindo as possibilidades de montagem, demolição e reinvenção de dramaturgias, propondo uma reflexão sobre o acúmulo e o vazio.
– Ficha técnica:
Direção: Kenia Dias e Ricardo Garcia / Duração: 60 min / Recomendação etária: 14 anos

Voltar