Biblioteca Erico Verissimo reúne 15 mil obras de literatura e artes

Foto: Darlene Silveira

Nem todo mundo sabe, mas, no terceiro andar da Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ), funciona a Biblioteca Erico Verissimo, que reúne cerca de 15 mil obras registradas. Ela é pública e especializada em Literatura (sul-rio-grandense, brasileira e estrangeira) e Artes (artes plásticas, música, dança, fotografia, teatro e cinema). Inaugurada em 27 de setembro de 1990, presta assessoria aos Núcleos e Instituições da Casa e oferece seu acervo a estudantes de ensino médio e universitários, pesquisadores, artistas, visitantes e público em geral.

Há uma sala de estudos onde é possível ler e pesquisar. Além disso, dá para levar os livros para casa por meio do serviço de empréstimo domiciliar. Para tanto, é preciso ser sócio. Os servidores da CCMQ não pagam nada por isso, e os visitantes apenas uma taxa anual de R$ 15. Para se associar, basta apresentar a carteira de identidade e um comprovante de residência originais e realizar o pagamento da anuidade.

Missão

Na Semana Farroupilha, destaque para os livros sobre o Rio Grande do Sul. Foto: Darlene Silveira

A missão da Biblioteca é contribuir para o desenvolvimento individual e coletivo, visando à construção da cidadania e a qualificação da vida socioeconômica e cultural da comunidade.

Quem foi Erico Verissimo
O escritor gaúcho nasceu em Cruz Alta em 1905 e morreu em Porto Alegre em 1975. É considerado o maior ficcionista brasileiro. Em 1931 ingressou na Revista da Globo, chegando à diretoria. Sua estreia na literatura deu-se em 1932 com o livro de contos “Fantoches”. Seus livros foram traduzidos para diversas línguas, alguns filmados para o cinema e TV, como “Incidente em Antares” e “O Tempo e o Vento”, a trilogia da saga do Rio Grande do Sul.

Verissimo lecionou literatura na Universidade de Berkley (EUA) de 1941 a 1945. Com o romance “Música ao longe”, foi agraciado com o Prêmio Machado de Assis, da Cia. Editora Nacional, em 1934. “Caminhos cruzados” recebeu o Prêmio Fundação Graça Aranha. Um de seus maiores sucessos, “Olhai os lírios do campo”, foi lançado em 1938.

O escritor ganhou o Prêmio Jabuti – Categoria Romance, da Câmara Brasileira de Livros, em 1965, com o livro “O senhor embaixador”. Postumamente, foi lançado, em 1976, “Solo de clarineta – Memória 2”, organizado por Flávio Loureiro Chaves.

SERVIÇO
Biblioteca Erico Verissimo
Onde fica: 3º andar da CCMQ (Rua dos Andradas, 736)
Horário de atendimento ao público: de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h30 às 18h
Telefone: (51) 3228-8378
Facebook: https://www.facebook.com/biblioteca.ericoverissimo/
E-mail: bevccmq@sedac.rs.gov.br

 

Texto: Darlene Silveira

Voltar