Dicionário sobre universo imaginário de Fernando Duval é lançado na Casa de Cultura Mario Quintana

Foto: André Furtado

Era uma vez uma civilização Wasthiana, que teria surgido há milhares de anos no continente Wasthavastahunn (ou Wastha), situado na região central do extinto planeta Fahadoika. Quer conhecer mais sobre essa história? Pois ela será contada no lançamento do dicionário “Wasthavastahunn – Universo Imaginário”, do artista plástico e escritor Fernando Duval, editado pela Letra Capital. Será nesta sexta-feira (8), às 18h, no Mezanino da Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ).

Segundo o especialista em Gestão da Comunicação Institucional, Cinema e Linguagem Audiovisual, Antonio Xavier, a publicação surge como ferramenta a respeito de um mundo de formas, ideias e cores rico em registrar contradições, erros e acertos, no qual cultura e lazer são também necessários para a preservação de uma civilização feliz e despreocupada, sempre em contradição com suas virtudes e imperfeições. “Fato nada incomum, se compararmos com as sociedades atuais”, pondera Xavier. “Como diz o autor, no Wastha, a alegria é sempre considerada meta, meio e fim”.

Duval é natural de Pelotas (RS), mas começou a desenhar e pintar esse universo paralelo na década de 1960, em Porto Alegre. “É um planeta que gira em torno de dois sóis, um sistema binário, e tem quatro luas”, explica o artista, que mora no Rio de Janeiro há anos.

E para comemorar os 60 anos de existência dessa arte, acontece o lançamento do dicionário. “O livro é destinado a todas as pessoas interessadas em conhecer alguns aspectos dessa civilização. Os verbetes foram baseados em textos extraídos da inédita e semidestruída Enciclopédia Wasthiana e de vários documentos esparsos e adaptados de uma maneira bastante liberal”, conta o autor.

Com 384 páginas, o leitor vai conhecer a civilização do Planeta Fahadoika e seus personagens inusitados além da fauna, flora, arquitetura, geografia e astronomia.

Para o artista plástico Décio Presser, a imaginação fértil de Duval criou um universo irônico e divertido que foi evoluindo e se espalhou nas últimas décadas, proporcionando ao artista a possibilidade de criticar o mundo contemporâneo de forma engraçada e sutil. “Universo minucioso e irreverente, em que o autor demonstra ser, além de um exímio colorista, um homem das letras”.

Mais sobre Fernando Duval

Conforme texto do site de Duval (fernandoduval.com.br), ele é um artista reconhecido dentro e fora do Brasil. Sua imaginação fértil e o talento com os pincéis o levaram a produzir uma obra polissêmica, rica em criatividade e vestida de uma crítica social elegante e representada pelos elementos concebidos ao Wastha, um mundo fantástico que é cenário e inspiração de sua criação.

Desde jovem conviveu com o ambiente artístico-cultural da sociedade gaúcha. Ainda em Pelotas, fez curso de desenho e pintura, na Escola de Belas Artes. Em 1957, passou a residir no Rio de Janeiro, onde deu continuidade aos seus estudos, frequentando o Ateliê de Pintura Livre, com Ivan Serpa, e o Curso de Arte Contemporânea, com Wladimir Alves de Souza, ambos no Museu de Arte Moderna. Também foi aluno de História da Arte de Carlos Cavalcanti e Flexa Ribeiro, no Instituto de Belas Artes.

A fase abstrata, em preto e branco, deu início à produção de Fernando. Posteriormente seria complementada com a introdução de cores primárias, quando passou a desenvolver um mundo imaginário construído com base em história, geografia, fauna, flora e civilização próprias. O Wasthavastahunn tornou-se o tema constante de seu trabalho. Mais recentemente, tem se dedicado a uma fase abstrata composta por formas geométricas, a qual denomina de “sintetórica”.

Além de quadros e objetos, atuou como ilustrador para jornais e livros, destacando-se os 58 desenhos para a obra “At the Mountains of Madness”, editada nos Estados Unidos por Donald Grant, em comemoração ao centenário do escritor norte-americano Howard Phillips Lovecraft. Desde 1966 participa de exposições coletivas e realiza mostras individuais, no Brasil e no exterior.

Fernando Duval dinamiza e amplia seu trabalho, com a confecção de dicionários sobre seu universo artístico, palestras, entrevistas em instituições de ensino e canais de televisão, além das exposições em espaços culturais e produção de obras, a convite, para publicações temáticas do campo cultural carioca.

SERVIÇO
Lançamento do dicionário “Wasthavastahunn – Universo Imaginário”, do artista plástico e escritor Fernando Duval
Quando: 8 de novembro | Sexta-feira
Horário: 18h
Onde: Mezanino da Casa de Cultura Mario Quintana (Rua dos Andradas, 736 – Centro Histórico/Porto Alegre)

 

Texto: Darlene Silveira

Voltar