Biblioteca Lucilia Minssen

Diretora: Marília Sauer Diehl

A Biblioteca Lucilia Minssen foi agraciada em outubro de 2011 em sessão solene na Câmara dos Vereadores com o Diploma Destaque Cultural  pela Academia de Letras e Artes de Porto Alegre pela  contribuição no desenvolvimento cultural de nossa cidade.A escolha foi feita por votação.

Instituição da Secretaria de Estado da Cultura do Rio Grande do Sul, foi criada em 1954, para oferecer um acervo de livros infanto-juvenis e promover atividades culturais voltadas para crianças e jovens. Possui um acervo de 17 mil volumes, acrescidos de folhetos, periódicos, gibis e jogos. Está dividida em setores : Referência, Empréstimo, Sala Pé de Pilão com Brinquedoteca; Sala Lili Inventa o Mundo para espetáculos teatrais; Sala Tesouro Juvenis – Espaço Ivettte Zietlow Duro, setor obras raras e históricas da Literatura infanto Juvenil . Tem como objetivo principal a formação do jovem leitor e incentivo a leitura. Para tanto promove atividades culturais e de lazer, como: Encontro com escritores, Palestras, Saraus, Seminários, Cursos e Oficinas, Lançamentos de livros , Hora do Conto, Teatro infantil na Sala Lili Inventa o Mundo (sábado e domingo) e Sessões de teatro para escolas (de terça a sexta-feira com agendamento).

A Biblioteca Lucília Minssen está localizada no 5º andar da Casa de Cultura Mario Quintana, na Rua dos Andradas, 736, Centro, Porto Alegre – RS – Cep.: 90.020-004. F: (51) 32.257089. Os horários de funcionamento são de terças a sextas, das 9h às 18h30min ; sábados e domingos das 14h às 18h.

Para mais informações e agenda cultural, acesse:
Blog: http://blmrs.blogspot.com
www.ccmq.rs.gov.br
Catálogo online: http://blm.phlnet.com.br
E-mail: bibliotecaluciliaminssen@gmail.com

 

BIBIOTECA POSSUI VITRINE DO BRINQUEDO

A Vitrine do Brinquedo é um local especial que nos permite fazer uma viagem no tempo. Por meio destes objetos que fizeram parte da história de cada um de nós, é possível resgatar culturas, estilos e modos de vida. Grande parte do acervo veio do antigo Museu do Brinquedo da Casa de Cultura Mario Quintana, desativado em 2011 e doado à Biblioteca Lucília Minssen, mas somente em 2012 conseguimos um local apropriado para sua exposição. Com apoio do Instituto de Artes Visuais (IEAVi), o novo espaço foi planejado, criado e organizado para se tornar a Vitrine do Brinquedo, com o objetivo de preservar e dar continuidade à coleção anterior, divulgar a história dos brinquedos e incentivar o lúdico.

A iniciativa baseia-se na convicção de que Brincar faz parte da natureza humana, e que é brincando que a criança começa a estabelecer vínculos, amadurece, cria, extravasa seus sentimentos e testa seus limites e potencialidades. Além disso, o brinquedo aproxima diferentes gerações, ao relembrar histórias de pais e  avós. Dessa maneira, a proposta da Vitrine é despertar nas crianças e jovens de hoje o prazer pelos brinquedos, a partir de sua história particular, em alguns casos, tão antiga que se confunde com a própria história do homem.

Origem e curiosidades sobre a História dos Brinquedos

Ao pesquisar sobre a história dos brinquedos constatamos que eles sempre estiveram presentes na história da  humanidade. Com origens  muito antigas, oriundas do mundo  oriental, muitos  destes objetos  eram usados para  adivinhação. Na África — o berço da humanidade — é possível dizer que os brinquedos foram criados lá, pois há muito tempo já existiam as bolinhas de gude entre os africanos. Na Grécia Antiga, no Império Romano, especificamente, em Esparta — entre outras cidades antigas — era comum encontrar crianças brincando com objetos de guerra, como espadas e barquinhos.

Também os jogos de tabuleiro têm origem remota. Eles foram criados por sábios e conselheiros antigos, que “liam” as respostas em peças marcadas. O jogo mais antigo de que se tem notícia tinha sete peças e usava dados, mas ninguém conhece suas regras. Sabe-se que até os faraós egípcios adoravam jogos de tabuleiro, há 4.300 anos. O  popular Jogo de varetas tem várias origens possíveis. Derivaria do jogo indiano chamado “Jonchet”, sendo que tal jogo é descrito no livro “Diálogos de Buda”, que teria sido escrito no século V a.C. Outra hipótese, é que o jogo teria suas origens no jogo “Mikato”,  na China e que suas vareta eram de marfim.

Existem brinquedos  muito antigos que são conhecidos por quase todas as crianças do mundo, como o peão, a pipa, a bola, os carrinhos, a espada, os barquinhos e a boneca. Esses brinquedos passam de pais  para filhos. No passado, as crianças faziam seus próprios brinquedos: carrinho de lata, bolas de meia, petecas de papel e bonecas de pano.  Geralmente, as crianças se reuniam e brincavam em ambientes livres, como ruas e quintais.

O Brasil de 1500 também possuía seus brinquedos. As crianças indígenas brincavam com chocalhos, tambores, lanças, entre outros objetos, que serviam como meio de diversão. Já na atualidade, nas décadas de 1970 e 1980 muitos jogos e brincadeiras divertidas animaram o dia-a-dia das crianças e dos adolescentes. Podemos citar alguns brinquedos antigos inesquecíveis, que marcaram época e que ainda hoje fazem muito sucesso, como o Cubo Mágico, Genius da Estrela, Mini Computador Pense Bem, e outros. Tudo isso e muito mais pode ser conferido na Vitrine.

Brinquedos como Barbie, Susi, Max Steel, carro do Batman, roupa do Super Man, Autorama, já foram os principais e melhores brinquedos do mundo. Desde suas criações foram e ainda são os brinquedos mais comprados no mundo. Que menina não sonha em ter sua boneca Barbie? Qual menino já não saiu correndo com seu carro do Batman? Mas apesar desse grande sucesso, tais brinquedos não são capazes de desbancar os brinquedos tradicionais.

Nos dias de hoje, os brinquedos antigos estão sendo deixados de lado graças à imensa tecnologia existente que proporciona às crianças e adolescentes a possibilidade de entrar em outro universo — o universo digital. O mundo da tecnologia, principalmente da internet, está cada vez maior, e as novas gerações desde cedo buscam fazer parte dela. Isso não significa que as brincadeiras e brinquedos antigos vão deixar de existir. Essa competição existe graças à nova realidade e possibilidade de consumo da população. Na maioria dos casos, se a criança puder ter um computador em casa ela vai ter, pois o computador passou a ser o brinquedo da atualidade.

Algumas imagens, alguns momentos, pessoas ou objetos da infância permanecem em nossa memória por muitos anos! E a Vitrine do Brinquedo foi criada para preservar estes objetos e histórias.

Realização da Biblioteca Lucília Minssen;  apoio do IEAVi, FACED/Programa de Extensão Quem quer brincar?, Empresa Xalingo Brinquedos, ABRINE.

Todas as atividades da Casa de Cultura Mario Quintana são patrocinadas pelo Banrisul.

Marilia Sauer Diehl – Diretora da Biblioteca Lucília Minssen